Oportunidade: Entenda como funciona o Enem para presidiários e infratores

Cidadania e Justiça

Entenda como funciona o Enem para presidiários e infratores

Educação

Exame tem a mesma complexidade e rigor das provas realizadas em outubro; Número de inscritos é 19% maior em 2015

assuntos-mais-comuns-do-enemO Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade (Enem PPL), aplicado em prisões e unidades de internação socioeducativas, pode ser uma oportunidade para menores infratores e adultos presidiários virarem a página criminosa de suas vidas e retomar o caminho, por meio do ensino superior. Não à toa, 3.043 jovens infratores farão a prova nesta terça (1º) e quarta-feira (2), em todo o País.

Outros 42.415 adultos em regime fechado em penitenciárias estaduais farão o exame. Além de 124 reclusos de unidades prisionais federais. O total de inscritos no Enem PPL neste ano é de 45.582 pessoas em todos os estados e o Distrito Federal, número 19% maior em relação a 2014.

Serão aplicadas quatro provas objetivas abrangendo diversas áreas de conhecimento ensinadas no ensino básico e médio: ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; e linguagens, códigos e suas tecnologias e redação. O aluno pode optar por inglês ou espanhol na prova de língua estrangeira.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é responsável pela elaboração do exame, que será aplicado nas unidades prisionais e socioeducativas em salas de no máximo 36 pessoas. Cabe ao estabelecimento prisional zelar pela segurança das salas e da aplicação das provas para evitar fraudes.

O exame pode servir para obter o certificado de conclusão do ensino médio em cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), o antigo supletivo, oferecido por unidades socioeducativas. Em 2012, por exemplo, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estimou que 57% dos jovens infratores reclusos no País não frequentavam a escola antes de ingressar nas unidades de internação.

O mapeamento feito pelo CNJ foi publicado no estudo “Panorama Nacional: a Execução das Medidas Socioeducativas de Internação”, que indicou que 86% dos menores infratores ainda estavam no ensino fundamental.

Ensino superior

Estudantes com nota acima de 600 pontos no exame podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para tentar uma vaga nas universidades federais. É possível também tentar o ensino técnico por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

O Enem PPL permite, ainda, disputar bolsas no Programa Universidade para Todos (Prouni), que facilita a entrada dos mais pobres em universidades e faculdades privadas.

 A liberação de jovens infratores e presidiários para estudar, contudo, depende de aprovação da Justiça. Entre outros critérios avaliados pelos juízes, está o bom comportamento e a aplicação das pessoas privadas de liberdade em estudar.

Enem para privados de Liberdade

Comentários do Dr. Yves: A oportunidade dos presos e infratores em prestar o ENEM que possibilita o acesso ao Ensino Superior, é, sem outras palavras, uma oportunidade de ouro. A recolocação na sociedade é extremamente penosa. Talvez a maior pena de um sentenciado. A possibilidade de retorno a sociedade, com uma graduação (Nível Superior), propicia ao reeducando uma vasta possibilidade de escolhas, bem como, uma maior aceitação social. Nosso maior objetivo é possibilitar a essas pessoas a igualdade entre todos. Todos erram. Todos acertam.

Cuidado com o que você procura e com o que você pede, pois, quem procura acha, e, quem pede, é atendido. Dr. Yves Patrick Pescatori Galendi – Advocacia Pescatori Galendi

Fonte: Ministério da Educação (MEC) , Inep e  CNJ.

http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2015/11/entenda-o-enem-para-pessoas-privadas-de-liberdade

Auxílio reclusão: saiba tudo a respeito.

As famílias dos segurados da Previdência Social que estão presos em regime fechado tem direito a receber o auxílio-reclusão. Este é um dos benefícios do INSS, e garante que os familiares e dependentes dos presos recebam pagamentos mensais enquanto o segurado permanecer recolhido. Aqueles que cumprem pena em regime semi-aberto também podem receber o auxílio-reclusão.

Mas há algumas exigências para ter direito a receber este benefício, vamos a elas:

  • O segurado só poderá receber o benefício caso não esteja recebendo nenhum outro benefício do INSS, ou de empresa privada. No caso daqueles que já são aposentados, o benefício do auxílio-reclusão não é pago, mas a aposentadoria continuará a ser recebida normalmente.
  • É necessário estar contribuindo para a Previdência Social antes da reclusão, por meio privado ou individualmente, com ressalva para os trabalhadores rurais e pescadores, que tem o benefício garantido sem nenhuma carência, por serem segurados especiais.
  • O segurado não pode ter recebido salário superior a R$ 862,60 antes de ser preso. Só receberá o benefício aqueles que recebem salário abaixo deste valor.

Há também obrigações para aqueles que começam a receber o auxílio-reclusão. Os familiares ou dependentes tem que apresentar no intervalo de 3 em 3 meses, comprovantes que dão conta de que o segurado continua preso, estes comprovantes devem ser apresentados a Previdência Social. Caso isso não seja feito, o benefício pode ser cortado imediatamente sem aviso prévio. O documento em questão é o atestado de recolhimento, emitido pela instituição presidiária onde o seguro permanece recolhido.

rec

O benefício só será pago exclusivamente enquanto o segurado permanecer recolhido, ou seja, caso haja fuga, liberdade provisória ou regime aberto, o auxílio-reclusão é suspenso.

Os familiares e dependentes que tem direito a receber o benefício são, esposa legal ou companheira, filhos menores de idade, filhos maiores de idade que sofrem de invalidez, ou qualquer outro dependente financeiro direto do segurado, mediante comprovação.

Fonte: http://socialprevidencia.net/auxilio-reclusao.html

Acessando esse link você pode saber quem tem direito a esse benefício- http://socialprevidencia.net/auxilio-reclusao-quem-tem-direito-como-desbloquear.html